Empresa nacional fabrica Carregador de Carro Elétrico

A Sindustrial desenvolveu a solução, se destacando por ser 100% brasileira

A busca pela sustentabilidade está cada vez mais alta no mercado, como vemos através da implementação cada vez maior de produção de energia renovável e produtos biodegradáveis, por exemplo. O mundo tem se adaptado a esse viés, segundo a Agência Internacional de Energia, em 2017 a venda de veículos elétricos e híbridos superou 1,1 milhão de unidades. No Brasil, em 2018, o crescimento foi de 65% na frota de carros elétricos com relação ao ano anterior.

A Sindustrial é uma empresa localizada em Bauru, no Estado de São Paulo, que se destaca no setor de energia. Desde 2012, trabalha com soluções na produção de energia renovável através de produtos para usinas solares. Agora em 2019, lança o SinCharger, um carregador rápido de carros elétricos, seguindo a linha da sustentabilidade e inovação que o mundo tem exigido.

O diretor da empresa, Gabriel Daré, explica “Os carregadores de carros elétricos são divididos pelos tipos de carregamento AC, Corrente Alternada, que possui um carregamento mais lento e DC, Corrente Contínua, que é característica de carregamentos rápidos e ultrarrápidos. No caso do nosso carregador rápido, um carro pode ser carregado em até 20 minutos.”

De acordo com dados da CPFL, 1 quilômetro rodado de um carro à combustão, considerando o valor do etanol, custa aproximadamente R$ 0,19, enquanto em um veículo elétrico é de R$ 0,05, ou seja, 75% menor. “A ideia é desenvolver a industria nacional dando competitividade e flexibilidade ao setor, pois até então dependíamos da importação de produtos secundários, como os carregadores por exemplo.”, comenta o diretor.

O SinCharger é o único produto fabricado localmente que fornece eficiência superior a 94%. O Engenheiro Eletricista, Odair Marques, afirma que o carregador foi desenvolvido com foco na necessidade do setor, sendo um produto flexível, e por ser “um produto escalável, ou seja, pode se adaptar para vários pontos de carregamento, além das diversas possibilidades de comunicação e conectividade.” Explica.